4 Passos Para Seu Cão Amar a Caixa de Transporte

As férias estão chegando e você vai levar seu amigão junto na viagem? Então é importante fazer isso em segurança!

Muitas pessoas tem dó de colocar seus cães em caixas de transporte, mas a verdade é que elas, além de seguras, podem ser amadas pelos peludos. É tudo uma questão de COMO apresentar a caixa ao cão. Apresentada da forma adequada, a caixa pode inclusive se tornar o refúgio preferido do seu amigão, um local onde ele se sinta seguro e confortável.

Primeiro vamos ao tamanho da caixa. Para que ela seja segura é importante que não seja nem grande e nem pequena demais. Ela deve ter altura e largura suficientes para que seu cão consiga ficar em pé e dar uma volta em torno de si mesmo dentro dela.

Obviamente, o cão não deve ser deixado por longos períodos de tempo dentro de uma caixa, pois, para ter o seu bem-estar preservado ele precisa ter a oportunidade de ser livre e explorar, mas ela pode ser muito útil em várias situações, como:

– Viagens: é o meio mais seguro de transportar o seu amiguinho;

– Ao chegar a um lugar novo: se seu cão está habituado como a caixa, irá reconhece-la como uma parte da sua casa com a qual ele se identifica, amenizando o estresse de chegar a um lugar desconhecido;

– Treino para educação sanitária: evita a possibilidade de erro, acelerando o processo de aprendizagem;

– Trovões e foguetes: normalmente os cães se sentem seguros dentro das suas caixas, associando isso a algo positivo (como um brinquedo recheável, por exemplo) podendo amenizar o sofrimento dele nessas situações.

– Passeios: se você vai passar uma tarde em algum lugar, como um parque por exemplo, depois de correr e brincar bastante seu amigo pode querer um cantinho tranquilo para descansar. A caixa é um lugar perfeito para isso.

Bom, encontrada a caixa ideal e sabendo para quê ela serve, vamos ao COMO fazer essa apresentação e conseguir criar o refúgio mais amado do seu amigão! Se você quer que seu amiguinho ou amiguinha AME sua caixa de transporte, você de seguir alguns passos que listaremos a seguir.

1 – Não force nenhuma situação

É perfeitamente natural que no primeiro momento alguns cães olhem para esse novo objeto com desconfiança, afinal eles nunca o viram antes e não sabem que conclusão tirar a respeito. É por isso que não forçamos o cão a entrar, apenas o incentivamos a investigar colocando petiscos dentro da caixa e deixando a porta aberta. Inicialmente coloque os petiscos bem na entrada, assim sem muito esforço ele conseguirá pegar as guloseimas e começará a criar interesse pelo objeto. Depois jogue os petiscos da metade para o fundo e deixe que ele “se vire” para resgatá-los. É normal que nas primeiras vezes o cão fique um pouco resistente a entrar completamente na caixa, mas conforme for percebendo que vale a pena e que não há o que temer vai ganhando confiança.

2 – Avance um passo

Depois que o cãozinho começou a entrar na caixa sem medo, comece a recompensá-lo com um petisco na sua boca antes que ele saia. Isso vai incentivá-lo a permanecer um pouco mais dentro da caixa e facilitar o processo que ocorrerá em seguida. Á partir daqui, você não jogará mais petiscos lá dentro, você vai esperar que ele entre e dar muitas recompensas na sua mão enquanto ele estiver dentro da caixa, antes que ele saia. Aqui você pode introduzir um comando de voz, se quiser. Quando ele (a) estiver entrando na caixa você diz “caixa” e recompensa dentro da caixa. Depois você colocará esse comando um pouco antes de ele (a) entrar na caixa.

3 – Começando a fechar a porta

Agora que seu amigo não tem mais medo da caixa, nós vamos dificultar um pouco o exercício. Quando ele (a) entrar na caixa você vai recompensá-lo (a) com um petisco e em seguida encostar a porta e abri-la novamente, recompensar e deixar que ele (a) saia da caixa. Após repetir esse processo várias vezes você vai aumentar gradativamente o tempo de permanência com a porta fechada, e alternar com situações diferentes, como se afastar da caixa e voltar para perto, sair da vista do seu cão e voltar. Assim ele (a) começará a perceber que pode ser muito bom ficar ali, já que após cada variação você dará um petisco.

É muito importante que você faça essas variações de forma gradativa, caso seu cãozinho reaja com choros ou latidos, você não pode recompensá-lo e nem abrir a porta para que ele (a) saia, senão é isso que você estará ensinando. Nesse caso no próximo exercício você deverá regredir um passo, manter a porta fechada por menos tempo ou se afastar menos, por exemplo, para evitar que ele (a) se estresse.

4 – Permanência por um período maior de tempo

Se você está nessa etapa é porque seu cão já entendeu o processo e já gosta da sua caixa. Agora você vai apenas finalizar esse processo, mostrando a ele que ele pode relaxar ali. Você pode mandar seu cão para a caixa, ou coloca-lo lá dentro e deixar com ele um ossinho ou brinquedo recheável para que ele o desfrute por mais tempo. Assim que o brinquedo acabar você o recolhe e abre a porta para que ele (a) saia da caixa.

Á partir de agora você já pode usar a caixa para a finalidade desejada, seja para viagem, educação sanitária ou como referência para seu cão relaxar!

Escrito por: Veridiana Martins Dias – empreendedora, adestradora e amante dos animais

Um comentário em “4 Passos Para Seu Cão Amar a Caixa de Transporte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s