5 Passos Para Acalmar Seu Cão No Momento da Virada

Fogos01

 

Nessa época do ano muitos cães sofrem com medo do barulho causado pelos fogos de artifício e, por esse motivo, o momento da virada pode se tornar um momento de muita aflição tanto para os cães quanto para sua família humana.

Alguns cães tem um medo realmente extremo e nesses casos, infelizmente, nessa hora não há muito que se possa fazer além de preparar um local seguro para evitar que o cão se machuque e ficar alerta caso seja necessário intervir de alguma forma. É possível também consultar um veterinário comportamental sobre a possibilidade de administrar algum tipo de calmante, para amenizar o sofrimento do bichinho.

Em casos de cães que ficam desconfortáveis, é possível seguir algumas dicas para tornar esse momento um pouco menos assustador, porém, essas medidas devem ser PLANEJADAS COM ANTECEDÊNCIA para que possam realmente auxiliar de alguma forma.

Então aí vão 5 passos para acalmar seu cão no momento da virada:

1. Pratique uma atividade física com seu cão

Obviamente essa atividade deve ser feita durante o dia e não no momento dos fogos. Leve seu cão para um longo e relaxante passeio, corra com ele, brinque de bola, enfim, faça-o gastar energia e relaxar.

A atividade pode auxiliar no gasto de energia, redução da ansiedade e também no relaxamento ao longo do dia.

2. Faça uma massagem relaxante 

Antes de chegar o momento assustador, chame seu cão para perto e faça nele uma boa massagem relaxante. Isso pode ajudar a soltar a tensão muscular e favorecer o relaxamento.

3. Prepare o ambiente

Escolha um cômodo da sua casa que, além de seguro, possa manter o som externo mais abafado.

Se seu cão está habituado à caixa de transporte essa pode ser uma excelente hora para usá-la (leia o texto 4 Passos Para Seu Cão Amar a Caixa de Transporte para saber mais). Deixe a caixa num ambiente tranquilo e use um pano para abafar o som. Atenção! Cuidado para não deixar a caixa totalmente fechada e não torná-la quente demais. Você pode também colocar um brinquedo recheado com algo que seu cão ama dentro da caixa, isso pode ajudar a tornar esse momento mais agradável.

Caso você não tenha uma caixa de transporte ou seu cão não esteja habituado a ela, você pode arrumar um cantinho aconchegante para que ele se sinta melhor dentro do cômodo mesmo.

Estimule o faro do seu cão. Deixe petiscos saborosos escondidos pelo cômodo e deixe que ele procure. Você pode também oferecer aquele osso que ele adora (dê preferência aos defumados) ou um belo brinquedo recheado com algo muito saboroso.

Outra coisa que pode auxiliar bastante é deixar uma música tranquila e ambiente ou a TV ligada, isso pode auxiliar a abafar o som dos fogos.

Existe ainda no mercado a opção de feromonas em forma de difusor (Adaptil) que auxilia na criação de um estado de calma nos cães. Esse “aroma” (inodoro para pessoas e animais de outras espécies) é uma réplica da feromona que as cadelas liberam naturalmente aos seus filhotes, logo após o seu nascimento, para reconfortá-los e reforçar o vínculo entre a mãe e a sua ninhada. Esta feromona mantém o mesmo efeito calmante sobre cães adultos em situações estressantes. É importante lembrar que esse produto leva algumas horas para agir de forma completa no ambiente, então esse local deve estar preparado bem antes do momento da virada.

Outra opção é a chamada Thundershirt, uma espécie de colete que através de uma leve pressão ajuda a reduzir a ansiedade do cão, auxiliando em situações de estresse. A Thundershirt foi desenvolvida com base em estudos de Temple Grandin, PhD e Linda Tellington-Jones, PhD, duas renomadas pesquisadoras da área de bem-estar animal. Para que a Thundershirt ofereça algum suporte nessa hora é muito importante que o cão já tenha sido habituado ao uso do colete.

4. Ofereça suporte emocional, SIM!

Existe uma crença equivocada e bastante difundida de que, se o cão está com medo, não devemos dar qualquer tipo de atenção. Esse mito surgiu da crença de que, ao fazer isso, estaríamos reforçando o medo do cão e desta forma piorando ainda mais o problema.

Acontece que já foi cientificamente comprovado que emoções não podem ser reforçadas. Nós reforçamos apenas COMPORTAMENTOS. Ou seja, pense no seu cão como um amigo que está passando por um mal momento. Se sentir a necessidade de dar conforto emocional, não pense duas vezes! Mas lembre-se de também procurar manter a calma, pois, se ele perceber que você também está nervoso (a) pode achar que a situação é ainda pior.

5. Previna!

Se você sabe que esse dia vai chegar religiosamente todos os anos, não espere até esse momento para então fazer algo a respeito. Inevitavelmente os fogos irão acontecer, então, vamos preparar nossos cães ao longo do ano para que esse momento não seja tão assustador!

Se você tem um filhote, ele DEVE ser socializado, habituado e dessensibilizado a sons de vários tipos. Se você buscar um profissional que te auxilie nesse aspecto é muito provável que você não enfrentará problemas sérios com fogos ao longo da vida do seu cão.

Em cães adultos, esse medo deve ser trabalhado ao longo do ano para que, quando essa época chegar seu cão esteja mais habituado a esses estímulos e sofra menos. Também é importante comentar que esse tipo de sensibilidade tende a ser acentuada com o tempo caso não tratada. Procure um bom profissional que possa te orientar com a dessensibilização do seu amigão ao longo do ano.

 

4 Passos Para Seu Cão Amar a Caixa de Transporte

As férias estão chegando e você vai levar seu amigão junto na viagem? Então é importante fazer isso em segurança!

Muitas pessoas tem dó de colocar seus cães em caixas de transporte, mas a verdade é que elas, além de seguras, podem ser amadas pelos peludos. É tudo uma questão de COMO apresentar a caixa ao cão. Apresentada da forma adequada, a caixa pode inclusive se tornar o refúgio preferido do seu amigão, um local onde ele se sinta seguro e confortável.

Primeiro vamos ao tamanho da caixa. Para que ela seja segura é importante que não seja nem grande e nem pequena demais. Ela deve ter altura e largura suficientes para que seu cão consiga ficar em pé e dar uma volta em torno de si mesmo dentro dela.

Obviamente, o cão não deve ser deixado por longos períodos de tempo dentro de uma caixa, pois, para ter o seu bem-estar preservado ele precisa ter a oportunidade de ser livre e explorar, mas ela pode ser muito útil em várias situações, como:

– Viagens: é o meio mais seguro de transportar o seu amiguinho;

– Ao chegar a um lugar novo: se seu cão está habituado como a caixa, irá reconhece-la como uma parte da sua casa com a qual ele se identifica, amenizando o estresse de chegar a um lugar desconhecido;

– Treino para educação sanitária: evita a possibilidade de erro, acelerando o processo de aprendizagem;

– Trovões e foguetes: normalmente os cães se sentem seguros dentro das suas caixas, associando isso a algo positivo (como um brinquedo recheável, por exemplo) podendo amenizar o sofrimento dele nessas situações.

– Passeios: se você vai passar uma tarde em algum lugar, como um parque por exemplo, depois de correr e brincar bastante seu amigo pode querer um cantinho tranquilo para descansar. A caixa é um lugar perfeito para isso.

Bom, encontrada a caixa ideal e sabendo para quê ela serve, vamos ao COMO fazer essa apresentação e conseguir criar o refúgio mais amado do seu amigão! Se você quer que seu amiguinho ou amiguinha AME sua caixa de transporte, você de seguir alguns passos que listaremos a seguir.

1 – Não force nenhuma situação

É perfeitamente natural que no primeiro momento alguns cães olhem para esse novo objeto com desconfiança, afinal eles nunca o viram antes e não sabem que conclusão tirar a respeito. É por isso que não forçamos o cão a entrar, apenas o incentivamos a investigar colocando petiscos dentro da caixa e deixando a porta aberta. Inicialmente coloque os petiscos bem na entrada, assim sem muito esforço ele conseguirá pegar as guloseimas e começará a criar interesse pelo objeto. Depois jogue os petiscos da metade para o fundo e deixe que ele “se vire” para resgatá-los. É normal que nas primeiras vezes o cão fique um pouco resistente a entrar completamente na caixa, mas conforme for percebendo que vale a pena e que não há o que temer vai ganhando confiança.

2 – Avance um passo

Depois que o cãozinho começou a entrar na caixa sem medo, comece a recompensá-lo com um petisco na sua boca antes que ele saia. Isso vai incentivá-lo a permanecer um pouco mais dentro da caixa e facilitar o processo que ocorrerá em seguida. Á partir daqui, você não jogará mais petiscos lá dentro, você vai esperar que ele entre e dar muitas recompensas na sua mão enquanto ele estiver dentro da caixa, antes que ele saia. Aqui você pode introduzir um comando de voz, se quiser. Quando ele (a) estiver entrando na caixa você diz “caixa” e recompensa dentro da caixa. Depois você colocará esse comando um pouco antes de ele (a) entrar na caixa.

3 – Começando a fechar a porta

Agora que seu amigo não tem mais medo da caixa, nós vamos dificultar um pouco o exercício. Quando ele (a) entrar na caixa você vai recompensá-lo (a) com um petisco e em seguida encostar a porta e abri-la novamente, recompensar e deixar que ele (a) saia da caixa. Após repetir esse processo várias vezes você vai aumentar gradativamente o tempo de permanência com a porta fechada, e alternar com situações diferentes, como se afastar da caixa e voltar para perto, sair da vista do seu cão e voltar. Assim ele (a) começará a perceber que pode ser muito bom ficar ali, já que após cada variação você dará um petisco.

É muito importante que você faça essas variações de forma gradativa, caso seu cãozinho reaja com choros ou latidos, você não pode recompensá-lo e nem abrir a porta para que ele (a) saia, senão é isso que você estará ensinando. Nesse caso no próximo exercício você deverá regredir um passo, manter a porta fechada por menos tempo ou se afastar menos, por exemplo, para evitar que ele (a) se estresse.

4 – Permanência por um período maior de tempo

Se você está nessa etapa é porque seu cão já entendeu o processo e já gosta da sua caixa. Agora você vai apenas finalizar esse processo, mostrando a ele que ele pode relaxar ali. Você pode mandar seu cão para a caixa, ou coloca-lo lá dentro e deixar com ele um ossinho ou brinquedo recheável para que ele o desfrute por mais tempo. Assim que o brinquedo acabar você o recolhe e abre a porta para que ele (a) saia da caixa.

Á partir de agora você já pode usar a caixa para a finalidade desejada, seja para viagem, educação sanitária ou como referência para seu cão relaxar!

Escrito por: Veridiana Martins Dias – empreendedora, adestradora e amante dos animais